Solidarizar é preciso

No comments

 

“…o direito de sermos um pouco loucos e sonhar,
é ter uma economia solidária tão ampla que o capitalismo
seja eventualmente um implante, e não o contrário.”
Paul Singer

Através da parceria com a Espichamos , o Cadê teve um contato muito interessante com um tipo de relações e de pensar como consumimos. A ideia por trás disso tudo se chama Economia Solidária e sua principal força é afirmar uma economia onde a solidariedade e a cooperação são seus principais valores.

Desse pressuposto básico muitas coisas podem ser mudadas, e estão mudando. Embora o nome “Economia Solidária” tenha surgido no Brasil , o pensamento é anterior a isso e poderíamos dizer que suas raízes venham das primeiras cooperativas e até de qualquer empreendimento em que a autogestão (o próprio grupo trabalhadores gere a instituição) e a autonomia e reciprocidade  seja inerente nas relações.

No Brasil, a economia solidária proporcionou o surgimento de cooperativas e também que seus valores entrassem em outros campos. Na área da saúde mental, por exemplo, os profissionais encontraram na economia solidária um meio para reintegrar pacientes psiquiátricos ao trabalho.

Para se ter uma ideia, o Ministério do Trabalho e Emprego calcula que existam, atualmente, cerca de 30 mil empresas de economia solidária no Brasil. Elas dão oportunidades de produção e renda para nada menos que 2,3 milhões de pessoas em todo o país. E nos últimos anos, nasceram também outros empreendimentos com foco não só em perfil de baixa renda, mas apostando que é possível humanizar mais as nossas relações de consumo, de sermos mais transparentes e verticais nas relações entre quem produz e quem consome.  A Espichamos é uma delas, e temos também o Instituto Chão e House of All .

Em todas essas iniciativas , enxergamos uma visão questionadora sobre o mundo atual e a esperança de um mundo mais igualitário. O Cadê apóia essas iniciativas e quer participar e promover essa discussão!

Venham participar da Feira de Troca de Brinquedos , dia 26/05, trocar e conversar sobre isso!

E para saber como participar da Feira: https://www.cadebebe.com.br/semana-mundial-do-brincar/

Até lá!

 

mbressan06Solidarizar é preciso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *