O Macaco que Existe Dentro de Nós

IMG_1539[1]

Do lado do trepa-trepa de um playground, fica difícil duvidar da teoria darwinista de que somos parentes do macaco. Pula, corre, pendura, balança, vira, desvira – parece natural o prazer da criança de macaquear (será que é?). Na nova etapa de ambientação, inspirada na exposição do MASP “Playgrounds” e “História da Infância”, nos inspiramos nessa ludicidade e nesse prazer que o ser humano pode encontrar projetando o próprio corpo em novos desafios, novas direções e posições.

Na exposição Playgrounds  há uma curiosa obra que é um trepa-trepa composto por canos de ônibus. O espaço público e funcional do ônibus ali vira um brinquedo, através da arte, e nos lembra que até o ato enfadonho de pegar um ônibus pode ser visto como um ato divertido se olhado por um prisma diferente.

Já a nossa ambientação trouxe o elemento da corda e dos fios. Novamente, o olhar artístico e lúdico questiona e transforma o objeto funcional: a corda que amarra, a meia-calça que veste, o fio que prende , – vira objeto estético, vira brinquedo, se transforma junto com aquele que entra em contato, seja criança ou adulto. Tudo muda quando o corpo entra no jogo.

IMG_1540[1]

Não seria esse olhar que pergunta “para que isso funciona mesmo?” e quer transformá-lo em brinquedo, simplesmente,  o olhar da criança? O quanto o olhar do artista está próximo da criança?  É isso que propomos a refletir – e brincar muito, lógico.

Até a próxima !

mbressan06O Macaco que Existe Dentro de Nós

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *